SAY YOU'LL REMEMBER ME STANDING IN A NICE DRESS

sexta-feira, janeiro 22, 2016


Deitada no sofá gélido da sala, pensava no quanto seria bom se estivesses comigo, uma lágrima escorreu pelo meu rosto e morreu nos seus lábios. Eu sentia uma falta absurda dele! Sentia falta da pele dele, do cheiro dele, do carinho que tínhamos um com o outro, e claro, do seu toque, o que fazia todo o meu corpo arrepiar-se numa fração de segundos. A nossa história de amor não foi uma das melhores, foi, na realidade, uma das mais incríveis que já existiu! Se eu fosse colocar na ponta do lápis tudo o que passamos juntos, quinhentas páginas não serão suficientes.

Ele roubava o meu sorriso até quando eu jurava que ele não irai conseguir, e fazia me rir de piadas tão idiotas, que se fosse outra pessoa, eu mandaria-o para a merda, mas como era ele, até as coisas mais toscas tinham piada. Havia dias em que ele me surpreendia com o pequeno almoço na cama, com flores no trabalho e com jantares a luz das velas, e isso era muito engraçado porque ele não sabia cozinhar. Comprava comida pronta, aquecia-a no microondas e dizia que ele mesmo tinha feito um jantar especial para nós, eu achava aquilo tão romântico que nem tinha coragem de o chamar de mentiroso.

Quando eu ficava stressada com o trabalho ou com a vida, ele sempre dava me vários motivos positivos para não deixar que aquelas coisas me afetassem. E funcionava. Nas noites frias, ele aquecia me e fazíamos amor como se a noite fosse durar uma eternidade, os nossos corpos juntavam se e tornavam se apenas um, e era nessas horas que eu via que desde quando o conheci, desde aquele momento que o meu olhas se encontrou com o dele, que eu sentia que tínhamos sido destinados um ao outro.
E foi numa noite fria, como qualquer outra, que ele me surpreendeu com um pedido. Olhou me nos olhos e disse me que depois de um bom tempo juntos, eram já cinco anos de muito amor, carinho, companheirismo e de estranhas manias, ele deu a risada mais deliciosa do mundo inteiro, todos sabiam como ele era um homem melhor do meu lado, e que eu não queria mas nada, em todo este universo, senão ele. Então, ele pediu me para eu ser a mulher dele, para toda a vida.

Lembro me de que nunca me senti emocionada e tremula, como naquele dia, acho que fica fácil de adivinhar que eu respondi sim e que tempos passados, nos casamos. Nos mudamos para um apartamento maior e adotamos um lindo cão chamado de Draco. Eu pensava que a minha vida estava completa, mas oito meses depois ao descobrir que estava gravida eu percebi o quão errada tinha estado ao longo dos dias que tiveram passado. Depois de lhe ter contado, ele ficou paralisado por alguns segundos, e do nada deu um pulo tão grande que eu cheguei a assustar me. Ele ficou tão eufórico e tão feliz, que o meu coração sorriu de felicidade por vê-lo daquela maneira.

Em nove meses, um linda e pequenina menina estava nos nossos braços. Ele olhou a emocionado e logo em seguida olhou para mim, disse me que era tão linda quanto eu. A nossa família estava a crescer e juntos passamos momentos incríveis, era como se tudo fosse um sonho, do qual eu já mais ia querer acordar. Mas o tempo passou-se e foi aí que aconteceu uma tragédia. Ele sentia-se constantemente mal, reclamava de dores misteriosas no corpo e foi aí que resolvemos procurar ajuda médica. Acabamos por descobrir que ele tinha uma doença grave, e que ela se vinha a desenvolver silenciosamente no seu organismo há já muito tempo. Foram meses de angústia e sofrimento, tratamentos dolorosos e uma infinidade de medicamentos.

Mesmo a saber que estava péssima e que a dor que eu senta era tão grande quanto a dele, ele tentava animar me e fazia com que eu não ficasse com aquele assunto na minha cabeça o tempo todo, Fazia me lembrar dos nossos melhores momentos e de vez em quando conseguia roubar me um sorriso. Mas, a luta acabou por chegar ao fim. O homem que eu tanto amava, que me deu felicidade, que me fez ver a vida de uma maneira totalmente diferente a que eu estava acostumada a ver e que me deu um dos melhores presentes que eu poderia imaginar ganhas, foi se. E eu fiquei aqui, ansiando a sua presença, sentindo falta dos seus abraços e de todos os momentos felizes que passamos juntos.

Abracei fortemente a nossa filha, que agora se tinha deitado ao meu lado no sofá, ela era tudo o que me tinha restado, ela era um pedaço dele e isso era a única coisa no mundo que me reconfortava.

TAMBÉM PODERÁS GOSTAR DISTO...

0 comentários

Olá meus amores! Ou como eu gosto de vos chamar, Woah'zitos.
No caso de vocês estarem interessados em comentar o conteúdo aqui do blog, fiquem a saber que depois de responderem ao formulário de comentários a vossa opinião não ficará visível, mas irá ficar assim que eu lei-a o comentário e autorize a sua publicação.
Prometo responder a todos vocês como muito amor e carinho.