Eu li: Cinquenta Sombras Livres de E.L James - Woah Arabella

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Eu li: Cinquenta Sombras Livres de E.L James

- Vira-te. - Fala com uma voz grave, autoritária e sexy como tudo. 
Como consegue ele infundir tanta promessa numa única palavra?

Fifty Shades Freed
 As Cinquenta Sombras - Livre (pt)
por E. L James
Reino Unido
inglês || 2012 || 592 páginas
Género: Ficção erótica
Serie: Fifty Shades
Amazon: 4.2/5

Amanhã chega aos cinemas nacionais a adaptação cinematográfico do terceiro e último livro da série Fifty Shades da escritora britânica E.L. James e eu achei que seria a altura ideal para trazer ao blog a minha opinião sobre o mesmo. Sendo que isso torna este post o primeiro que contém um review literária. É, continuando assim este blog vai se tornar numa cena para malta intelectual. #Bricando.


Vou começar por avisar que eu gostei da trilogia e não me envergonho, também gostei dos filmes mas essa já é uma história diferente. Li os livros no verão de 2015, depois do primeiro filme já ter saído. E achei a mesma obsessiva e viciante. Lembro me muito bem de ter lido o primeiro livro em menos de uma semana por ansiar ver o que aconteceria na página seguinte, porque para mim o mundo do BDSM era totalmente novo e juro que todo o contato que tive com esse universo veio da leitura destes três livros e da visualização dos filmes. No segundo livro essa vontade desapareceu um pouquinho porque, na minha opinião, resumiu-se na dificuldade da Ana assumir a sua submissão, sexo e discussões. O que só piorou no terceiro livro. Primeiro, as primeiras 250 páginas ou 300 poderiam ter sido resumidas para se dar mais espaço para a história se desenvolver. Depois houve muitas pontas soltas que nunca foram "atadas" e quando me dei conta tudo era sobre discuções, a falta de proteção da Ana, sexo de reconciliação, sexo pós pesadelos, sexo, sexo, sexo e sexo para tudo quanto era lado. Depois todas as outras personagens desapareceram ou ficaram meio que no ar: tenhos o casamento da Kate com o Elliot, a vida da Mia e do Ethan, os pais da Ana e do Christian de quem nunca mais se houve... 
Também senti que o período de gravidez da Ana podia ter sido explorado, para mostrar um pouco de como ela e o christian reagiam. 
O meio e o fim do livro foram simplesmente estranhos. Fiquei com a sensação de que foi feito a correr pela simples obrigação de haver um livro que precisava de ser terminada. Inclusive, como já disse a história deixou muita coisa por contar. Inlusive, E.L. James, para quando um livro que vá conter mais história e menos sexo para que se possa entender um pouco do background das personagens? Mas amiga, só vale a pena começares a escrever se sentires que é desta que não deixas os leitures com aquela horrível sensação de vazio.
Dito isto só tenho a adicionar que apesar da minha opinião sobre o livro não ser a melhor, não é por isso que vou deixar de ir ver o filme. Em geral eu gostei dos livros, achei que foi feito um  bom trabalho com os outros filmes e só Deus me iria conseguir impedir de ir ver o Jamie Dornan como Christian Grey uma última vez nos cinemas. 
***
O QUE VOCÊS ACHARAM DO LIVRO? VOCÊS TAMBÉM ESTÃO ANSIOSAS PARA VER O FILME? Contém me tudo e não se esqueçam de seguir o blog. Afinal, os meus unicórnios e as minhas fadas lêm sempre primeiro. A primeira imagem não me pertence, eu apenas a editei com o Canva, Já a segunda criei-a com o auxílio do mesmo editor.

kill them with kidness,
Woah Arabella

Sem comentários:

Enviar um comentário

Olá meus amores! Ou como eu gosto de vos chamar, Woah'zitos.
No caso de vocês estarem interessados em comentar o conteúdo aqui do blog, fiquem a saber que depois de responderem ao formulário de comentários a vossa opinião não ficará visível, mas irá ficar assim que eu lei-a o comentário e autorize a sua publicação.
Prometo responder a todos vocês como muito amor e carinho.